segunda-feira, junho 27, 2005

porquê Roxa xenaider?


Este título carece de uma explicação inicial. Os velhos contam muitas estórias, vividas umas, aprendidas outras ao longo dos anos. Assim foi com o meu Pai, e assim está sendo comigo agora que já sou mais velho do que ele era quando nos deixou. O meu Pai fazia muitas deslocações pelo país conduzindo camions de várias marcas, mas uma Rochet-Schneider marcou-o mais que as outras. Assim, quando nos contava uma das suas pequenas "aventuras" acrescentava: "Olha, uma vez ia até na Roxa xenaider..." Claro que nem sempre teria sido assim, mas para ele era uma firme convicção. Como nos contava muitas vezes a mesma estória, algum de nós lhe dizia: "Ó Papá, essa é uma Roxa xenaider". Também eu contei, e provavelmente contarei algumas mais. A propósito, fazia eu uma viagem profissional pelo interior de Angola acompanhado de um camarada de trabalho, pessoa extremamente educada e com quem não tinha ainda criado intimidade. A viagem de carrinha durava já alguns dias e vários milhares de quilómetros. Entretanto eu, com mais de vinte anos "de mato", ia desfiando estória atrás de estória, até que o meu camarada me diz muito timidamente, "essa é uma Roxa xenaider", quer dizer esta, e sabe-se lá quantas mais teria eu repetido ao meu indefeso Amigo (era eu quem conduzia).

5 Comments:

Anonymous JPeres@netcabo.pt said...

Já lá vão quase quarenta anos quando ouvia as Roxas Xenaiders do meu avô Américo. Não vou esquecer nunca. Um grande abraço tio.

Jorge Manuel

8:53 da tarde  
Blogger R.G.S. said...

... mas nunca é a mesma roxa xenaider.


Abraço

4:28 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Um grande abraço para todos da casa .
ZÉ ANTÓNIO

11:38 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Olá João,
Foi uma surpresa, uma magnífica surpresa encontrar-te na revista e agora neste blog.
Para que a tua memória me possa situar aí vão as referências:
Luanda -1968/1970
Adelino Cruz, ao tempo vivendo com a Graça Varela Cid.
Que bela, deslumbrante vida a tua João. Muitos parabéns por a teres vivido.
Um grande abraço
adelino

3:23 da tarde  
Anonymous José Carlos Pratas said...

Meu caro João,
Foi com grande admiração que observei a tua grande entrevista(pequena em tamanho)na revista do Inatel.
Comentei com a minha filha Inês (que tu conheces desde pequenina agora tem 26 anos) olha o pai trabalhou com o João.
Encontrei o teu filho (que trabalhou connosco) á porta do meu Jornal(meu é uma maneira de dizer)que me disse que estavas porreiro e que talvez te fosses reformar. Bom já era tempo, para teres tempo para contares as tuas historias.
Como es um ás da net mando-te o meu mail jcpratas@gmail.com e o tlm 962436274 se tiveres tempo dá um toque.
Um abraço do tamanho do Mundo.
José Carlos Pratas

3:43 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home